Kandal

Cycling
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

A modalidade de Indoor Cycling, surge através de Johnny Goldberg (Johnny G) na década de 80.
Trata-se de uma actividade de grupo, realizada bicicletas estacionárias com resistência manual e ao ritmo de música, cujo lema adoptado foi:

“As pedaladas mais importantes que podes dar na tua vida são as que direccionas para ti próprio".

Os nossos praticantes são conduzidos por um instrutor/a, que vai criando um envolvimento “imaginário”, por ex. rectas, subidas e descidas, visando a motivação do grupo. Cada participante, ajusta a resistência da bicicleta, em função da música, imaginando o cenário e tendo em conta as suas próprias capacidades.

Desde o seu lançamento, seguiu-se uma ampla proliferação de programas de Indoor Cycling, alguns deles associados a fabricantes de bicicletas: TrebiSpin, RPM, Cycle Reebok, Tomhawk, Schwinn Indoor Cycling, Top Ride, entre outros.

Nas aulas de Indoor Cycling, existe um planeamento específico do desenvolvimento da capacidade anaeróbia. O treino com componente anaeróbia justifica-se pelo facto deste ser requisitado, inclusivamente, nas tarefas do quotidiano, em momentos de realização de esforços de curta duração e de máxima intensidade, nomeadamente em situações de stress ou lazer onde subitamente, é necessário fazer uma corrida curta e rápida.

Estudos recentes têm demonstrado a importância do exercício vigoroso para a saúde, afirmando-se inclusive que as actividades físicas vigorosas possuem inúmeros benefícios para a saúde. Este exercício denominado vigoroso (ACSM, 2006) comporta repetições ou séries de trabalho com predomínio do metabolismo anaeróbio.

O objectivo principal do Indoor Cycling é o aumento da resistência aeróbia com todos os benefícios que daí advém em termos de saúde e da resistência muscular dos membros inferiores. Para além disso, visa apresentar-se como uma modalidade atlética e motivante para os praticantes, associando as vantagens do ciclismo estacionário, ao divertimento das aulas em grupo, à motivação das actividades de outdoor e ao desafio dos desportos de aventura, como por ex. o trekking.

Esta actividade surge como uma actividade aeróbia alternativa que visa, através de um programa de treino contínuo ou intervalado, a manutenção e melhoria da capacidade funcional do sistema cardiorespiratório, de acordo com o ACSM (2005), o treino com a duração de 30/45 minutos em média, pode realizar uma actividade com alterações cardiovasculares significativas.

Inscreva-se já nesta modalidade!